Paciente com disfunção erétil

Nem todo paciente com disfunção erétil, principalmente psicogênica, necessita de terapia sexual, uma vez que problemas menos sérios podem ser significativamente melhorados por algumas sessões de aconselhamento. Por outro lado, qualquer paciente com disfunção erétil, independentemente da causa de seu problema, pode se beneficiar de um aconselhamento sexual competente que possa melhorar o prognóstico de qualquer terapia.

Conclusões e perspectivas

Fatores psicossociais são de particular importância na prática clínica da disfunção erétil. Experiências práticas e estudos empíricos comprovam a importância de fatores psicossociais na causa dos transtornos, na qualidade de vida do homem disfuncional e nos efeitos individuais da disfunção erétil. Além disso, a aceitação de cada terapia é essencialmente determinada ou limitada por fatores psicossociais, tornando essas influências elementos cruciais na escolha da terapia.

O futuro incluirá opções efetivas de tratamento a longo prazo aceitas pelo paciente e seu parceiro, que podem melhorar não apenas a função erétil, mas também a satisfação sexual ou a “saúde sexual”. Para isso, é necessário fortalecer as possibilidades sexuais positivas existentes e promover os poderes de cura. Em uma previsão e análise orientada para o objetivo e conceito de tratamento, como tem sido sugerido mais recentemente por um painel americano especialista (13), ligado à terra de forma racional, tempo e economia de custos, paciente e abordagem orientada a par com as opções de diagnóstico e terapêutica de pacientes Abrir. Estas dependem da imagem individual do sintoma,

Por medicamentos oralmente ativos tais como sildenafil, as fronteiras entre medicina sexual ou tratamentos de terapia sexual são cada vez mais turva, uma vez que estas substâncias – ao contrário das injeções intra-cavernosas – não induzir menos automaticamente ereções, mas atuam mais como um catalisador e suporte do ciclo de excitação sexual e transporte.

A necessidade de aconselhamento competente e terapia sexual aumentará, pois apenas numa abordagem combinada as possibilidades de tal abordagem fisiológica podem ser efetivamente implementadas. A disponibilidade de drogas oralmente eficazes aumentará o uso de serviços médicos e mudará o tratamento da disfunção erétil para a atenção primária. Ao mesmo tempo, a maior variedade de opções terapêuticas não facilitará a orientação do médico e aumentará a demanda por competência em medicina sexual. Tanto a Academia de Medicina Sexual (14) quanto a Sociedade Alemã para Pesquisa Sexual (2) levaram isso em consideração estabelecendo programas de educação continuada baseados em currículos.